A decisão em ser destro ou canhoto é determinada ainda no útero

Quem nunca se perguntou porque umas pessoas são canhotas enquanto outras são destras? Os cientistas também se perguntaram isso e decidiram entender de vez como funciona o mecanismo que determina um canhoto ou um destro. O estudo realizado mostra surpreendentemente que tudo que se pensava sobre o assunto não estava certo.

Cientistas da universidade alemã, Ruhr-Universität Bochum, afirmaram que as alegações de que o cérebro é o responsável por determinar essa variação, está errada. Os pesquisadores disseram: “Os resultados mudam nossa compreensão das causas que levam à assimetria hemisférica”. Segundo eles o cérebro não é o fator responsável por nos tornar canhoto ou destro.

Basicamente, os cientistas descobriram que essa assimetria hemisférica que nos torna destro ou canhoto já é determinada dentro do útero. Ou seja, não seria possível correlacionar a assimetria hemisférica com a formação do cérebro. Exatamente com 13 semanas de gestação, o feto consegue relacionar a preferência por um determinado lado do corpo e passa a realizar movimentos de acordo com essa preferência ainda dentro da barriga da mãe.

Através de exames de ultrassonografia os estudiosos perceberam que os fetos passam a usar uma das mãos já na oitava semana de gestação. Diferentemente do que muitos achavam, essa característica peculiar não tem relação com as decisões tomadas no cérebro. Eles então concluíram que o verdadeiro responsável por definir se seremos canhoto ou destro é a medula espinhal.

A teoria lançada pelos alemães descarta a anterior que diz que o cérebro controla essas características individuais e biológicas de cada ser humano. O estudo comprovou que os fetos com apenas oito semanas de gestação já definem uma mão dominante para levar à boca. O prazo de oito semanas é extremamente curto e nesse período a ligação entre o córtex motor e a medula espinhal ainda não está completamente formada.

A partir desses resultados eles puderam descartar de vez a teoria que diz que o cérebro determina qual lado do corpo será melhor utilizado pela pessoa. O que foi comprovado é que a medula espinhal é o fator contribuinte para essa decisão do feto na escolha do uso de um dos lados do corpo.

Os pesquisadores alemães ainda traçaram uma espécie de ligação entre a medula espinhal e as atividades de genes como os fatores predominantes nessa escolha da assimétrica hemisférica de cada pessoa. Eles alegam que a decisão ocorre de forma assimétrica primeiramente na medula, portanto é ela quem define se uma pessoa será destra ou canhota.

A pesquisa esclarecedora foi realizada pelos pesquisadores alemães em parceria com holandeses da Dutch Radboud University, e com os sul-africanos da Stellenbosh University.

Os cientistas relataram que ainda é preciso fazer mais outros testes para entender mais sobre o assunto, mas que no entanto, a teoria proposta anteriormente já foi anulada.

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.