A velocidade do aumento do nível do mar é potencialmente catastrófica

O nível do mar pode subir mais do que o esperado no longo prazo, mesmo que seja possível parar o aquecimento global nos níveis atuais, de acordo com um estudo publicado na revista Science.

Os cientistas antes pensavam que, se a temperatura média global atual aumentasse apenas 2 graus Celsius, a Terra iria experimentar um período semelhante de calor no qual havia cerca de 125.000 anos atrás. No entanto, este novo estudo conseguiu alcançar um resultado ainda mais preocupante: as temperaturas nesse período não foram maiores, mas praticamente “indistinguíveis” das temperaturas que a Terra possui nos dias de hoje.

“A tendência é preocupante, pois o nível do mar durante o último período interglacial era entre seis e nove metros mais alto do que hoje”, disse o líder da equipe de pesquisa, Jeremy Hoffman, da Universidade do Estado de Oregon, nos Estados Unidos.

O degelo atual, caso se prolongue durante os próximos séculos, faria o oceano alcançar estes níveis preocupantes. Os pesquisadores chegaram a esta conclusão depois de analisarem sedimentos em 83 pontos do fundo do mar, em busca de indicadores químicos de níveis de temperatura.

Anders Levermann, professor do Instituto Potsdam para a Pesquisa do Impacto Climático, disse à Reuters que isso “poderia significar que o nível do mar deve responder mais rápido” ao aquecimento global, já que as calotas polares se derretem em temperaturas mais baixas do que se esperava anteriormente.

A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA, por sua sigla em Inglês) e a NASA garantiram quarta-feira passada (18) de maneira conjunta que 2016 foi o ano mais quente já registrado, um recorde que foi batido pelo terceiro ano consecutivo.

A NOAA indicou que, no século XXI tem se registado cinco vezes a temperatura máxima global, e de maneira consecutiva nos últimos três anos.

No entanto, em dezembro de 2016, a Rússia viveu episódios de frio extremo. Na cidade de Yugra, conhecida formalmente como o Distrito Autônomo de Khanty-Mansi Okrug (distrito dos Urais), as temperaturas caíram para -62°C. Devido às condições climáticas severas, parte da Sibéria ocidental sofreu problemas com o transporte público e as escolas tiveram que ser fechadas.

 

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.