Calvície, como evitar?

Calvície é uma situação que afeta em sua maioria homens, já que a queda capilar está ligada diretamente a presença de hormônios sexuais do homem, em especial a testosterona. O sexo feminino também faz esse hormônio, contudo em quantidades menores. Justamente por esta condição a calvície é rara em mulheres, e quando acontece é uma perda pequena.

A vida útil dos fios depende de cada fase do crescimento e da queda. Quase cem por cento dos nossos fios estão em fase de crescimento. Após o fio estagnar, e cessar o processo de crescimento, o fio cai, e em seu lugar nasce um novo fio que começa a crescer. A questão é que a duração deste processo, do nascer à queda, pode durar até dois anos.

Segundo especialistas e notícias recentes, as principais causas se referem a hereditariedade e aos hormônios do sexo masculino como dito acima. As duas causas geram a atrofia dos bulbos capilares, fazendo com que a queda total aconteça de maneira acelerada. Existem outras causas como: oleosidade em excesso, o uso de muitos produtos químicos em excesso, mudanças na tireoide, ingestão de gordura e outros alimentos ruins, falta de vitaminas, o uso continuo de alguns medicamentos e estresse em excesso. E cirurgias e a quimioterapia podem fazer com que a perda de cabelo seja mais intensa, mas quando a causa acaba o cabelo cresce normalmente de novo.

Os sintomas da calvície nos homens tendem a surgir dos 17 aos 23 anos. Nessa idade, os cabelos não caem de uma vez só, é uma queda continua que não cessa, e que não volta atrás. Principalmente quando a pessoa herda dos pais estes genes. Isto acontece logo quando surgem as entradas, evoluindo para um circulo com falta de cabelos no topo da cabeça, e a queda vai evoluindo cada vez mais para o topo da cabeça, fazendo com que sobrem apenas alguns cabelos na parte de trás da cabeça.

Se a queda começar com uns 25 anos, a evolução ao tratamento é melhor, e a queda tende a ser mais lenta. Mas normalmente todo o homem a partir dos 50 anos com predisposição genética apresenta a queda anormal de cabelos, o grau varia de pessoa para pessoa.

Os sintomas nas mulheres tendem a aparecer depois da menopausa, pois até ela aparecer, as mulheres tem a proteção dos hormônios femininos. Após isso os níveis de estrogênio caem do nada, e as mulheres com predisposição podem manifestar um nível de queda.

Os casos em mulheres veem crescendo, já que as mulheres tem tido cada vez mais grande carga de estresse, tensão e ansiedade. Além de outros fatores de risco, como cosméticos, químicas e tinturas, além de certos penteados puxarem de mais o cabelo e dietas restritivas com o intuito de emagrecer.

A calvície não pode ser evitada quando a causa é a hereditariedade, entretanto quando a causa são outros fatores é possível evita-la ou retarda-la, evitando os fatores de risco e com medicamentos.

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.