Crescimento da população ameaça animais de serem extintos

O aumento da população mundial acaba acarretando consequências para o meio ambiente, porque o consumo de alimentos aumenta e também da água. As habitações vão tomando espaço dos habitats naturais de diversos animais, o que poderá causar a extinção de diversas espécies da fauna, nos próximos cinquenta anos, alertam pesquisadores.

Com o maior risco de extinção, estão as espécies de grande porte de mamíferos da região africana, da América do Sul e da Ásia. A biodiversidade dessas áreas são as mais variadas do planeta, segundo dados divulgados pela revista Nature Insight.

Mas ainda temos esperanças de que mudanças sejam realizadas, como dietas mais saudáveis para toda a população mundial até 2060. Também vai ser necessário, preservar habitats das espécies com maior chance de extinção, concluiu a pesquisa.

Após o desenvolvimento do homem atual, várias espécies foram extintas, desde que houve a saída de todo continente africano, para que houvesse a ocupação de outras regiões.

Há muito tempo atrás, por volta de três mil anos, o planeta teve mais da metade de seus mamíferos extintos, com mais de 44 kg, e cerca de 15% do total de aves.

Hoje o número de habitantes do planeta chega a sete bilhões, um número 25 vezes maior do que existia naquela época, e acredita-se que nos próximos oitenta anos, esse número cresça em mais quatro bilhões, aumentando o consumo de alimentos, moradias e água.

Os pesquisadores concluíram que atualmente cerca de 25% dos mamíferos estão correndo perigo de extinção e 13% das aves.

As suposições atualizadas de extinção de mamíferos, pássaros e anfíbios são parecidas com os maiores desaparecimentos em massa nos últimos quinhentos milhões de anos, que provavelmente tiveram origem em erupções vulcânicas, impactos de meteoros e outros desastres naturais.

A extinção dos dinossauros, foi causada por um desses eventos.

A caça ilegal e o sacrifício, colocam em risco  um número grande de espécies,  principalmente as ameaçadas, como os pássaros e os mamíferos.

A biodiversidade também tem sido afetada, apesar da área de preservação mundial totalize 14%.

O continente africano tem algumas áreas, que o número de leões diminuiu cerca de 10%, devido a diminuição dos habitats, causados pelo aumento populacional.

Houve uma diminuição de cerca de 80% do número de espécies de mais de 40 mamíferos em Gana, no período entre 1970 e 1998, devido ao aumento do consumo de carne de espécies silvestres.

Para atender à demanda de alimentos até 2060, seria necessário fazer o desmatamento em uma área de mais de 700 milhões de hectares adicionais. Dentro dessa área, 430 milhões de hectares estariam na região da África subsaariana, composta por 47 países.

Para promover a proteção dessas espécies, será necessária uma melhor gestão das áreas preservadas, declararam os pesquisadores.

Também é necessário aumentar o cultivo por hectare de terra livre, usando técnicas que possam preservar a produtividade da terra, e a utilização de sementes mais fortes em relação às pragas e secas.

 

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.