Declaração de Bertolucci sobre “Último tango em Paris” reacende discussões em Hollywood

Filme dos mais aclamados pela crítica, “Último tango em Paris” segue levantando discussões 44 anos depois de seu lançamento. Estrelado pelo astro Marlon Brando e Maria Schneider, dirigido pelo lendário Bernardo Bertolucci, o filme voltou aos holofotes por conta de declaração recente do diretor, que revelou não ter contado à atriz sobre o que ocorreria na “cena da mantega” – quando o personagem de Brando a força a ter relações sexuais.

O filme conta a história de um americano, que vive em Paris após trágico suicídio de sua esposa. Ele acaba por conhecer uma jovem francesa, e eles passam a se encontrar periodicamente em um apartamento a fim de satisfazer seus desejos sexuais; sem nem compartilhar os seus nomes, porém, o que demonstra o caráter exclusivamente sexual de sua relação.

A revelação de Bertucci, de 3 anos atrás, foi relembrada este ano por conta da força do movimento feminista em Hollywood. Diante da grande repercussão negativa, o diretor – que justificou a omissão da cena porque não queria que a atriz interpretasse a raiva e a humilhação, mas que as sentisse, como a personagem -, declarou que Schneider somente não sabia da manteiga que foi utilizada, e não da cena inteira.

Maria Schneider, falecida em 2011, já havia falado sobre a cena em 2007, quando disse que realmente havia sentido-se coagida a fazer a cena – até mesmo por Brando, que teria lhe dito que era apenas um filme. A atriz, porém, reforçou que não houve penetração, mas que havia se sentido realmente humilhada durante a cena nas gravações, e que as lágrimas que se observam nas filmagens eram reais.

Marlon Brando, falecido em 2004, também já havia reclamado do diretor de “Último tango em Paris”, que teria o exposto em demasia. O ator havia aceito fazer parte do filme por conta de problemas financeiros pelos quais passava devido ao seu estilo de vida desregrado e porque vivia em Paris para se afastar de problemas com suas ex-esposas no EUA.

As declarações reaquecem debates sobre acerca da relação de poder entre diretores totalitários e seus elencos, que tem como exemplos os renomados Alfred Hitchcock, Stanley Kubrik e Lars von Trier. Diversas atrizes já se manifestaram nas redes sociais manifestaram indignação com a postura de Bertolucci e Brando, sendo até mesmo lançada campanha para que o diretor seja condenado publicamente em Hollywood.

A ficha do filme no IMDb (Internet Movie Database) pode ser encontrada no link: http://imdb.to/1M8E4Ow

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.