Má alimentação mata uma a cada cinco pessoas no mundo

Estudo divulgado mostra que uma a cada cinco pessoas no mundo morrem por má alimentação e o câncer mata mais hoje do que há 10 anos. Porém a população está com a maior expectativa de vida já registrada.

No panorama mundial de saúde de 2016, publicado pela revista The Lancet, mostrou que a expectativa de vida, independente do sexo, aumentou nos últimos 50 anos de 58 para 72 anos, entre as mulheres esse número chega a 75 anos e para os homens 69 anos.

O Peru entrou em destaque com uma expectativa de vida entre as mulheres de 81 anos e homens 77, um aumento acima do esperado.

O estudo coordenado pelo Instituto de Avaliação e Medição de Saúde, sugere que países como Peru, Etiópia, Nepal, Maldivas e Nigéria, são exemplos que deveriam fornecer informações sobre suas políticas de saúde. A morte de crianças menores de cinco anos ficou abaixo de cinco milhões em 2016, pois em 1970 esse número chegava a 16 milhões.

Doenças infecciosas que causam morte também apresentaram diminuição, com exceção da dengue que matou 37 mil em 2016, chegando a ser 81% a mais desde 2006. A AIDS teve diminuição de 45% no mesmo período com 1 milhão de pessoas em 2016 e a tuberculose matou 1 milhão de pessoas.

Em 2016 houve 55 milhões de pessoas falecidas e 129 milhões nascidas, sendo um balanço positivo de 74 milhões de pessoas a mais no mundo todo.

Outros dados preocupantes também foram apresentados no estudo, como as mortes de pessoas por doenças não transmissíveis que chegaram a 72%, como as cardiovasculares com exceção dos países pobres que a maior causa da morte foi doenças respiratórias. No caso da diabetes, o número de mortes chegou a 1,43 milhão, um aumento de 31% em 10 anos. O câncer chegou a quase nove milhões de mortes, sendo 17% maior e dentre eles o de pulmão foi o mais comum.

No caso do tabaco, foram 7,1 milhões de mortes e a má alimentação no caso das pessoas com pobreza alimentar, como a falta de frutas, verduras e peixes teve 10 milhões de mortes, sendo 18% do total.

 

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.