O favoritismo do presidente do Banco Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, na disputa do atual cargo

Quarto presidente da história do Banco Bradesco – esse é mais um entre os méritos de Luiz Carlos Trabuco Cappi, sucessor de Márcio Cypriano, que esteve no cargo durante dez anos e só saiu por conta do estatuto do grupo que não permite presidentes com mais de 65 anos. Trabuco Cappi assumiu a presidência em março de 2009, quando a instituição havia acabado de perder a liderança de mercado.

Os antecessores

Márcio Cypriano deixou o cargo de presidente executivo do Banco com uma ótima performance – durante os dez anos na posição mais alta da instituição bancária, o executivo multiplicou o valor de mercado da empresa, que passou de US$ 5 bilhões para US$ 30 bilhões.

Mas não foi só Cypriano que esteve à frente do Bradesco antes de Luiz Carlos Trabuco Cappi. O próprio fundador da companhia, Amador Aguiar, bem como Lázaro Brandão – que foi o seu sucessor em 1999 – foram os outros dois. Brandão também foi o responsável pela indicação do atual presidente.

O favoritismo

Na ocasião da troca de presidentes, Luiz Carlos Trabuco Cappi disparava como favorito ao cargo. Ele já atuava no Banco há 40 anos, e em todas as conversas com executivos do mercado financeiro sobre a sucessão de Márcio Cypriano, era o nome dele um dos mais citados. Isso, principalmente, porque ele já conhecia bem a instituição.

O executivo entrou no Banco Bradesco muito cedo, em 1969, com apenas 18 anos. Iniciou como escriturário e foi passando por todos os escalões da empresa, incluindo as áreas como previdência privada e marketing. Desta forma, ele encaixava-se bem no conceito de um perfil de “continuidade e renovação” valorizado pela instituição.

Uma curiosidade é que Luiz Carlos Trabuco Cappi até já havia sido cotado para o mesmo cargo na ocasião em que Cypriano assumiu – mas, na época, foi considerado muito novo, já que tinha apenas 47 anos.

Em 2009, o ano em que assumiu, de fato, a presidência, o executivo enfrentou concorrentes fortes – José Luiz Acar Pedro, por exemplo, que chegou ao grupo depois da compra do Banco de Crédito Nacional (BCN), em 1997, foi um. Outro que disputou o cargo foi Roger Agnelli (3 de maio de 1959 – 19 de março de 2016), na época, presidente da Vale – no entanto, com este é possível que tenha acontecido o mesmo que com Trabuco Cappi e ele tenha sido considerado muito jovem para o cargo, já que tinha apenas 49 anos de idade.

A execução do cargo 

A criação de uma universidade corporativa foi uma das primeiras ações de Luiz Carlos Trabuco Cappi na presidência do Banco Bradesco – o objetivo era buscar a renovação dos quadros de liderança. O contexto, no entanto, não era dos mais favoráveis, já que a instituição não era mais líder de mercado.

Mas a oportunidade de manter o Banco na briga pelas primeiras colocações no ranking de ativos veio alguns anos depois – em agosto de 2015, quando o executivo comprou a filial brasileira do HSBC por US$ 5,2 bilhões. Sobre a transação, o presidente da empresa financeira destacou na ocasião – “Com o HSBC, conquistamos de uma vez o que demoraríamos cerca de seis anos para obter por meio do crescimento orgânico [ou seja, a melhora do desempenho interno da empresa]”.

Saiba mais sobre Cappi

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.