O que vem depois do vestibular

Curso superior é apenas um estágio na formação profissional

 

 

Depois da apreensão do vestibular, ver o nome na lista de aprovados traz aquela sensação de vitória. Só que após a matrícula, começa uma jornada bem mais desafiadora. A primeira é se identificar com o curso escolhido e decidir enfrentar os semestres que virão pela frente.

 

 

É no decorrer no curso que o estudante começa a se familiarizar com sua futura profissão. Só o conteúdo curricular não garante uma vaga no mercado de trabalho. A graduação superior é importante, mas insuficiente para formar um profissional. Há alguns cursos onde o estágio é obrigatório e possibilitam ao aluno vivenciar o ofício de fato. O lado positivo é que o estágio, além de ser a primeira experiência na futura profissão, pode ser o primeiro degrau de uma carreira promissora.

 

 

No final das contas, o que vale mesmo é a vida prática. As instituições de ensino superior, em seus mais de 200 cursos disponíveis atualmente, não credenciam nenhum aluno na experiência necessária. É no meio corporativo que o estudante-estagiário tem oportunidade de atuar projetos onde desenvolve de fato suas habilidades e competências. Também é no ambiente empresarial que o futuro profissional compreende a cultura e adéqua seu comportamento para atuar em determinada área ou função. Provavelmente, quando esse jovem concluir o curso, muitas informações que recebeu em sala de aula já estarão defasadas.

 

 

E depois da árdua trajetória em busca do diploma, o recém-formado descobre que avançou muito pouco em seus objetivos. Em breve a graduação não será mais suficiente e então terá de se diferenciar aprendendo outro idioma, fazendo cursos complementares ou retornando à universidade para a pós-graduação. E nesse ponto, conciliará a jornada de trabalho, que era mais branda na época do estágio, com o estudo noturno. Vale lembrar que nem sempre tais esforços são garantia de promoção.

 

 

Para quem estiver disposto a investir, um curso no exterior dá uma boa alavancada no currículo. Mas aí vem outro dilema: a essa altura, o jovem já está empregado, então não há muitas alternativas ao não ser procurar programas que se encaixem nos 30 dias de férias previstos na legislação trabalhista. Existem no Brasil diversas empresas de intercâmbio que prestam assessoria, desde a documentação de viagem até à seleção do programa de estudo. Destinos de língua inglesa são disparados os mais procurados não só pelos cursos de idiomas como também os de extensão profissional.

 

 

O vestibular continua sim uma porta de entrada importante para a vida profissional. Mas numa sociedade cada vez mais competitiva, o ponto de chegada vai depender do sonho e da determinação de cada um.

 

 

 

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.