O semestre teve melhor resultado no Caged desde 2014, segundo Ronaldo Nogueira

alguma notícia boa, alguma esperança de que a situação melhore. Ao menos, foi nesse sentido a fala do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, no dia 17 de julho deste ano, uma segunda-feira. Afinal, destacava ele que havia sido o melhor resultado, considerando desde o primeiro semestre de 2014, a geração líquida de vagas formais de emprego referente ao primeiro semestre deste ano, totalizando assim 67.358 postos. Os dados, aos quais o ministro referia-se, foram os divulgados pelo próprio Ministério naquela mesma tarde, e retirado do Caged. Para quem não sabe, Caged é a sigla para ‘Cadastro Geral de Empregados e Desempregados’, que é usado pelo Programa de Seguro-Desemprego,com a finalidade de que sejam conferidos os dados referentes aos vínculos trabalhistas, além de outros programas sociais.

O ministro ainda destacou, durante a coletiva de imprensa, que, em relação ao mês de junho deste ano, esse já havia sido o quarto mês com geração de empregos. Apesar disso, sua fala foi mais realista, pois, ao invés de exaltar o fato de forma exagerada, ele afirmou que queriam eles comemorar melhores números, mas que o país “possuía especificidades”. Mas, mesmo assim, achou válido dar algum destaque ao setor agropecuário e a alguns subsetores da indústria de transformação, que ele afirmou terem sido importantes naquele mês de junho ao qual se referia positivamente.

Entrando em mais detalhes sobre os dados do Caged, dava para dizer que a só a agropecuária sozinha, havia gerado 36.827 vagas com carteira assinada, isso apena naquele mês de junho de 2017. E é válido pontuar, a partir dessa constatação, que foi de fato esse setor aquele que pôde garantir esse resultado positivo mensal, já que só ele contou com novas 9.821 vagas.

E, para a surpresa de alguns, aqueles que se considera normalmente como setores de maior importância da economia, como a indústria de transformação e e construção civil, foi que apresentaram baixa, ou seja, fechamento de postos de trabalho, nesse mês de junho, com menos 7.887 vagas e menos 8.963 vagas, respectivamente.

O ministro Nogueira fez questão de acrescentar também, sobre os setores negativos no Caged, que foram eles influenciados por fatores que eram regionais, já que havia sido mais negativa a indústria nas regiões Sul e Sudeste. Todavia, ressaltou ainda que, apesar disso, não se podia dizer que houvesse “anomalia geral” nesses setores com números negativos.

Já especificamente sobre a queda de emprego na indústria, destacou ter ocorrido em setores mais dinâmicos, que é o caso então do Sul e do Sudeste, posto que, em outras regiões, essas baixas não ocorreram nesses mesmos setores. Assim, após lembrar que, em contrapartida, Norte e Nordeste tiveram dados positivos, terminou pontuando que a economia brasileira estava, sim, a dar sinais de recuperação, incluindo o detalhe de que a tal retomada estaria “estabelecendo-se de forma segura”.

 

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.