Restaurante em São Paulo conta a história do macarrão e ensina a preparar massas italianas 

Em muitas casas ele não pode faltar no almoço de domingo, nós estamos falando do macarrão, prato típico da Itália e tem até um museu em São Paulo. Nesse museu, quem quiser pode por a mão na massa.

Como em uma boa família italiana a reunião em volta da mesa tem que ser com todo mundo falando ao mesmo tempo, e não pode faltar uma briga. Preparar um cappeletti é simples, primeiro a massa passa no cilindro, depois é só corta, rechear e dobrar. O dono da fábrica e museu, Enrico Vezzani, faz isso desde os 9 anos para ajudar a mãe e encontrou nas massas uma renda extra na Itália quebrada após a segunda guerra. Aos 9 anos de idade Enrico e sua família tiveram que vir para o Brasil fugindo da fúria da guerra que assolava a Itália naquela época. De lá para cá Enrico desenvolveu a arte herdada de seus pais e hoje é dono do restaurante e museu do macarrão em São Paulo.

“São 60 anos fazendo isso e eu consigo fazer com uma velocidade de 5 kg/h”, diz Enrico. A securitária Maria Luz, conseguiu fazer a sua primeira bandeja. “Consegui fazer a minha primeira bandejinha de cappeletti, é muito bom poder pôr a mão na massa e realmente aprender com os verdadeiros donos desta arte”, diz Maria. O marido de Maria fica contente ao ver a felicidade da esposa e ele também participa pondo a mão na massa. “Eu fiquei muito feliz e espero que ela produza bem mais que uma bandeja, mal posso esperar para poder comer essa massa maravilhosa feita pelas mãos de minha esposa em todos os sentidos”, diz o marido de Maria, o jornalista Paulo Fernando.

A aula grátis é dada em uma fábrica que funciona junto com um restaurante de Enrico na Zona Norte de São Paulo. Nessa fábrica também funciona o museu do macarrão, com antigas máquinas de produzir cappeletti, inhoque, ravióli, espaguete, e o museu ajuda a contar a história da imigração italiana e da indústria de São Paulo desde o início do século passado.

“O Brasil teve um grande desenvolvimento mecânico grassas aos primeiros imigrantes italianos que aqui vieram. Aqui na fábrica as pessoas podem encontrar um pouco desta história entre Itália e Brasil”, diz o diretor técnico, Marco Vezzani.

Que as massas caíram no gosto dos brasileiros todo mundo sabe, mas nós não temos ideia do quanto é consumido. Só em uma empresa de produção de massas em São Paulo usa-se 25 toneladas de farinha de trigo por semana. Em 2016 os brasileiros consumiram mais de 1,2 milhão de toneladas de macarrão. A receita é lucrativa, o mercado de massas faturou R$ 9 bilhões em 2016. O restaurante museu Piazza Zini, fica localizado no bairro do Limão na zona Norte de São Paulo e fica aberto nos sábados e domingos.

 

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.