Rio com águas de até 80°C pode ser encontrado na Amazônia peruana

A Cordilheira dos Andes teve a sua formação há milhões de anos atrás, mudando para sempre a América do Sul. Lugares formados por paisagens extremas e onde as diversas altitudes influenciam o clima, fazendo com que todas as estações do ano sejam encontradas distantes às vezes por apenas alguns quilômetros.

Uma inesquecível viagem que passa por vales, montanhas, florestas e diversas espécies de animais, e onde a existência de tudo isso somente é possível pela presença da água que existe ali. A Cordilheira dos Andes separa o Peru em três regiões, onde estão localizadas as montanhas mais altas das Américas.

Um dos trechos da Cordilheira dos Andes apresenta a segunda maior cadeia de montanhas do planeta, onde existem mais de vinte picos com mais de seis mil metros, só ficando atrás da  Cordilheira do Himalaia.  Esses lugares possuem belezas inesquecíveis, e para atravessá-los o esforço físico é enorme e o frio é muito intenso.

Pelo caminho ainda vemos flores e animais pastando, e seguindo adiante a encosta fica cada vez mais íngreme. Quando se chega a uma altitude de 4.900 metros, a caminhada se torna ainda mais difícil e a vida ali é mais rara, já que não existem mais animais, árvores e pássaros.

Para continuar a travessia do local serão necessários capacetes e sapatos próprios para neve, até chegar aos 5.200 metros de altura. Seguindo adiante está a geleira de Jerupajá, uma das montanhas mais altas do planeta. Indo do cume da Cordilheira para o outro lado dos Andes, as correntes dos rios mudam e seguem o seu caminho para o interior do continente, seguindo em direção ao território brasileiro. Seguindo se chega em Pucallpa, localizada na província amazônica de Ucayali. É nesse local que nasce a enorme bacia amazônica, sendo que todos os rios da região acabam desembocando no rio Amazonas. Mas um desses rios localizados na floresta amazônica peruana, apresenta um mistério em relação às suas águas.

No meio do caminho a água já está com uma temperatura acima dos 20°C. Mais adiante a água chega aos 34°C e ele vai ficando menor, mais raso e a floresta fica mais densa. Alguns quilômetros de mata e o rio misterioso é finalmente encontrado, chamado Xanaya Tipisca. A sua temperatura nesse momento é de quase 66°C, mas subindo pela margem os mais corajosos podem usar o termômetro e verificar que a água nesse local apresenta uma temperatura de mais de 80°C. Toda essa temperatura alta da água e inclusive a do ambiente, ficam bem no meio de uma densa floresta, tornando esse local um mistério da natureza.

 

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.