Sergio Castillo dá a conhecer a Clínica Grand House

A Clínica Grand House é um centro de reabilitação para pessoas com histôrico em dependências e pretende ir ao encontro das necessidades dos seus pacientes no que diz respeito ao acolhimento, a humanização dos pacientes, a inserção dos pacientes na sociedade. Para isso, o hospital conta com profissionais qualificados para atender às necessidades dos clientes em várias especialidades. De acordo com o diretor terapêutico da Clínica Grand House, Sergio Castillo, “Atuamos como um centro clínico de evolução biopsicossocial, cujo objetivo primordial é o tratamento da dependência química e outras psicopatologias associadas, o resgate da autoestima e da dignidade do ser humano. Nossa missão é ajudar nossos pacientes a resgatar o amor próprio e conquistar uma vida melhor, longe do que lhes faz mal e junto de quem lhes quer bem”.

O diretor constinuou a sua entrevista dando ênfase ao fato da clínica já ter conseguido recuperar um montante considerável de pacientes desde a data da sua inauguração, “Além do tratamento ao paciente é importante que a família seja conscientizada de como atuar como o seu ente querido quando este tiver alta”. Castillo continua a sua linha de pensamento referindo que “Tendo em vista que a doença da dependência química é representada pelo efeito prolongado de substância psicoativas no cérebro, e que a partir desses efeitos o indivíduo acaba adquirindo déficits comportamentais que o prejudicam e impedem de relacionar-se consigo e com o mundo que o cerca, estas atividades são essenciais para sanar estes efeitos negativos causados pela dependência química e outras psicopatologias associadas”.

A Clínica Grand House trabalha o paciente desde a sua entrada até à sua saída para que este fique completamente independente de todas as dependências químicas que tinha até então, de modo a evitar recaídas e outros tipos de comportamentos, como refere Castillo “”Procuramos manter o vínculo com os pacientes mesmo depois da internação por meio de eventos diversos dentro e fora clínica, grupos de partilha em nosso ambulatório e o contato em geral para que ele possa treinar seu equilíbrio emocional e desenvolver novas habilidades para transformar a sua vida”.

Desta forma, o diretor terapêutico conclui afirmando que “Tivemos grandes retornos positivos ao envolvermos os familiares dos pacientes neste projeto. Essa interação é essencial para que eles entendam realmente como funciona o tratamento. Estamos analisando a possibilidade de disponibilizar essa opção permanentemente e estudando a melhor forma de implantação. Mas posso afirmar que já estamos colhendo os frutos”.

This entry was posted in Postagens. Bookmark the permalink.